21/08/2021 12h29 - Atualizado em 21/08/2021 12h29

Reduzimos a nossa capacidade de refletir e formular discernimentos, deixando que outros pensem por nós?  Se você acha que não estamos sendo manipulados, pense de novo! Lembre-se: As suas percepções têm tanta valia quanto você permita que elas tenham.

 É visível a tentativa de alguns meios de comunicação tradicionais, mídias sociais e outras instituições incutirem novos juízos e valores na sociedade, ainda passível de manipulação. Pertinente a este assunto, que sempre exigiu muita atenção, agora tem-se a impressão que as más intenções estão colocando todas as cartas na mesa.  Estarão os manipuladores perdendo espaço? Quem são eles? Poderes econômicos? Poderes políticos? Uma das estratégias utilizadas para enganar é o excesso de informação, que devido a isso gera desinformação. A mente cheia apresenta dificuldade para captar a realidade. A experiência mostra que quando ocorre algum tipo de excesso ou escassez a tal da manipulação está presente, como sempre bem escondida. E, hoje, boa parte da população está mergulhada na cultura do excesso de notícias.

Outra estratégia é a utilização de mensagem subliminar. São muitas imagens e vídeos rolando nas mídias sociais. Os olhos e o ouvido não percebem, mas a mente capta e é influenciada.

Considerando isso, o risco de ser ludibriado é real.  Evidências neste sentido são percebidas quando somos obrigados a questionar as nossas convicções quase que constantemente.

Então, quais são os antídotos perante a manipulação?

Levando em conta que estamos vivendo em alta velocidade, com pensamento acelerado, tornou-se necessário mais do que nunca parar o fluxo intenso dessas atividades, silenciar a mente, voltar para o seu departamento Eu e ouvir aquela voz interna da consciência, que nos ajuda no discernimento da verdade. De alguma forma proceder assim também é falar não para essa aceleração que nos permeia. Lembrando: o acelerado vive segundo os horários dos outros, o equilibrado vive segundo o seu próprio horário.

Não conheço nenhuma pessoa que diz sim para tudo estar em paz, nos dias atuais.  A verdadeira paz consigo mesmo tem a ver com se posicionar dizendo sim ou não, conforme a situação. Nessa linha de raciocínio, é necessário fazer perguntas e mais perguntas, visando passar pelo filtro da razão. Exemplos: Isto prejudica alguém? O que isto agrega de valor em minha vida? Quais são os propósitos disto? Quais são os riscos? Quais são as oportunidades? Quais são as probabilidades disto ocorrer? Quais são as consequências?

E, por último, manter a mente esvaziada visando ter espaço para distinguir verdade.  

Realmente são tempos nada fáceis. A sabedoria por trás da vida diz que tempos difíceis geram pessoas fortes. Pessoas fortes geram tempos fáceis. Por sua vez, tempos fáceis geram pessoas fracas. Em resumo, o momento é de fortalecimento do discernimento. Viva a vida.